Segunda-feira, 13.03.17

Filme Doces Bárbaros - 1 de abril 2017

Apresentamos o filme documentário sobre o grupo "Doces Bárbaros" composto por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa.

Os Doces Bárbaros é um filme documentário brasileiro lançado em 1976, com direção de Jom Tob Azulay.

 

Sinopse

O filme mostra a excursão comemorativa dos dez anos de carreira dos cantores baianos Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa, que formaram o grupo com o nome de Doces Bárbaros, por sugestão de Bethânia. Idealizado para mostrar os espectáculos do disco ao vivo que seria lançado (Doces Bárbaros - Ao Vivo), o documentário mudou de tom ao registar a prisão e julgamento de Gilberto Gil e de um companheiro por posse de drogas.

Gilberto Gil foi obrigado a internar-se numa clínica de desintoxicação, e só saía para participar nos espetáculos programados. Outra curiosidada apresentada no filme mostra Maria Bethânia irritada com um jornalista, perante a suposição que ela teria sido lançada pelo irmão Caetano Veloso, quando na verdade aconteceu o contrário.

 

Versão integral, pela primeira vez exibida sem os cortes da Censura Federal, Os Doces Bárbaros foi escolhido entre os dez melhores documentários sobre Música Popular Brasileira (MPB) no Festival É Tudo Verdade (2004).

 

Jom Tob Azulay, realizador

Jom Tob Azulay nasceu em 1941 no Rio de Janeiro, judeu brasileiro de descendência marroquina, é um ex-diplomata brasileiro, produtor, diretor, escritor, diretor de fotografia e técnico de som.

 

Título original: Os Doces Bárbaros

Gênero: documentário musical

Realização: Jom Tob Azulay

Com Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethania, Caetano Veloso

Duração: 100 minutos


Não recomendado para menores de 14 anos

 

Crítica ao filme - LINK - Folha de S. Paulo

 

 


agendaculturaldili às 08:24 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 17.11.16

Regulamento Prémio de Língua Portuguesa 2016

Prémio de Língua Portuguesa para Jovens Estudantes de Timor-Leste

4ª Edição 2016/2017

 

Regulamento

 

1. Designação

É instituído o Prémio de Língua Portuguesa da Fundação Oriente para jovens estudantes de português de Timor-Leste, com o objetivo de proporcionar o desenvolvimento das suas competências linguísticas e comunicativas em português, através da frequência do Curso de Verão de Língua e Cultura Portuguesa em Macau, promovendo também, desta forma, o intercâmbio cultural com outros falantes de língua portuguesa.

 

2. Âmbito

2.1. O Prémio de Língua Portuguesa da Fundação Oriente ao jovem estudante de Timor-Leste que apresente o melhor texto original com o tema “A árvore”;

2.2. Os textos a apresentar não devem exceder as 3 (três) páginas A4, com o tipo de letra Times New Roman, tamanho 12 e com espaçamento entre linhas de 1,5;

2.3. Ao prémio podem candidatar-se apenas estudantes de nacionalidade timorense, actualmente a frequentar uma instituição de ensino em Timor-Leste, com idade compreendida entre os 18 e os 25 anos, inclusive, completados até à data limite de entrega dos textos;

2.4 Ao prémio podem candidatar-se todos os alunos que não tenham vencido o Prémio de Língua Portuguesa de anos anteriores;

2.5. Cada estudante apenas poderá apresentar 1 (um) texto a concurso;

2.6. Os textos a concurso devem ser entregues com a identificação do autor, curriculum vitae, indicação da morada, telefone e endereço electrónico;

2.7. Os textos a concurso deverão dar entrada na Delegação da Fundação Oriente, na morada Rua 30 de Agosto nº 78, Díli, ou por correio electrónico fundoriente@foriente.minihub.org até às 17h00 do dia 2 de Março de 2017;

2.8. Dos textos apresentados a concurso nesta edição serão seleccionados pelo júri no máximo 10 (dez), os quais serão apresentados pelos autores publicamente, em local e data a anunciar pela Fundação Oriente;

2.9. Os textos escolhidos não poderão sofrer qualquer tipo de alteração, devendo ser apresentados tal como foram elaborados;

2.10. A Fundação Oriente reserva-se o direito de publicar todos os textos apresentados a concurso, sem que daí advenham quaisquer encargos relativos a direitos de autor.

3. Natureza do Prémio

3.1. O Prémio de Língua Portuguesa da Fundação Oriente tem o valor pecuniário de 2,500 (dois mil e quinhentos) dólares americanos e destina-se a apoiar a deslocação e a estadia do estudante premiado em Macau, durante um mês, a fim de frequentar o Curso de Verão de Língua e Cultura Portuguesa na Universidade de Macau. O curso realiza-se durante o mês de Julho de 2017.

3.2. Na actual edição do Prémio serão atribuídos 5 (cinco) Prémios de Língua Portuguesa devido ao apoio conseguido das instituições patrocinadoras.

 

4. Atribuição do Prémio

4.1. Os vencedores do Prémio de Língua Portuguesa da Fundação Oriente serão escolhidos por um júri presidido por 1 (um) representante da Fundação Oriente e constituído por mais 4 (quatro) elementos escolhidos entre personalidades de prestígio na área de ensino e da cultura de Timor-Leste e/ou Portugal;

4.2. As decisões do júri serão tomadas por maioria simples e destas não caberá recurso;

4.3. O júri poderá não atribuir os prémios caso entenda que os textos não se enquadram no âmbito deste regulamento ou quando não tenham qualidade suficiente;

4.4. O resultado do concurso será publicado nos media local;

4.5. Os prémios serão entregues em acto público a realizar na Delegação da Fundação Oriente em Timor-Leste, em data a anunciar;

4.6. A Fundação Oriente reserva-se o direito de decidir sobre a renovação anual da atribuição deste Prémio.

 

Publicado em 31/12/2016

agendaculturaldili às 02:33 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 14.06.16

Filme Xingu - dia 25 de junho 15h

 

Direção: Cao Hamburger
Elenco: Caio Blat, Maria Flor, João Miguel, Felipe Camargo, entre outros
Gêneros: Drama, Aventura, Biografia
Nacionalidade: Brasil

Duração: 1h40m

Ano: 2012

 

Sinopse: Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade pela aventura de viver na floresta. Para isso, resolvem inscrever-se no Programa de Expansão do Governo brasileiro, na região do Brasil central. Com enorme poder de persuação e afinidade com os habitantes da floresta, os três tornam-se uma referência nas relações com os povos indígenas, vivendo incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu.

 

Trailer: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-201699/trailer-19320329/

 

O filme foi anunciado no aniversário dos 50 anos do Parque Nacional do Xingu.

 

 

 

agendaculturaldili às 07:38 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 31.05.16

Novo curso de guitarra e curso novo de orgão eléctrico

Já estão abertas as inscrições para o novo curso de guitarra e agora também curso de orgão eléctrico.

 

Dirija-se à Fundação Oriente para fazer inscrição do seu filho/a.

 

Curso gratuito durante 3 meses.

 

Curso começa em Julho ou assim que as turmas estiverem completas!

 

agendaculturaldili às 07:29 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 05.05.16

Ciclo de Cinema "Resistência" - parte 1

Nos dias 3, 4 e 5 de Junho (NOVA DATA) a Fundação Oriente acolhe em Timor-Leste a realizadora Iara Lee, brasileira coreana, e exibe alguns dos seus documentários "culturesofresistance", esta é a primeira parte de um Ciclo de Cinema sobre Resistência, que incluirá depois filmes sobre o mesmo tema de Portugal, Brasil e Timor-Leste.

 

Consulte o cartaz.

 

Dia 3, sexta início às 19h.

Dia 4, sábado início às 15h.

(Nova data) Dia 5, domingo às 16h exibição do filme "Vida em espera" sobre o referendo no Sahara Ocidental.

 

A realizadora Iara Lee apresentará os filmes e responderá às perguntas do público. Aproveite esta oportunidade!

 

 

Site culturesofresistance

 

Biografia resumida da realizadora Iara Lee (Iara Lee em inglês):

 

Nasceu no Brasil e é descendente de coreanos. É activista, directora e coordenadora da Cultures of Resistance Network, uma organização que promove a solidariedade global. Em 2010, dirigiu o documentário Cultures of Resistance, em 2012, The Suffering Grasses, e em 2015 LIFE IS WAITING: referendum and resistance in Western Sahara e K2 AND THE INVISIBLE FOOTMEN. Dirigiu ainda o curta The Kalasha and The Crescent (2013).

 

Brevemente as sinopses de todos os filmes em português AQUI (sinopses em inglês)!

 

agendaculturaldili às 03:07 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 21.04.16

Cinema - Série Mulheres de Abril - episódio 4 e último - 14 de Maio - 15h

Série "Mulheres de Abril"

Episódio 1 "Onde estavas no 25 de Abril?" - Sábado - 30 de Abril - 15h

Episódio 2 "Uma calma e lânguida primavera" e Episódio 3 "Longo e quente verão" - Sábado -  7 de Maio - 15h

Episódio 4 "Uma família transmontana" e Episódio 5 "O novo milénio" - Sábado - 14 de Maio - 15h

 

Sinopse (página RTP):

"Mulheres de Abril" - 40 anos do 25 de Abril de 1974.

Ana faz 60 anos no dia 25 de Abril de 2014. O 25 de Abril faz 40 anos e Ana fez 20 anos no 25 de Abril de 1974.
Ana decide convidar para jantar as mulheres da sua vida. São elas, Isabel, a sua mãe, a sua filha Patrícia e a sua neta Sofia, a sua sobrinha Maria, a sua grande amiga de sempre, Luísa e finalmente Rosa, a antiga criada da família com quem Ana e Isabel mantêm uma relação muito próxima.
Ao longo do jantar, todas elas vão contando histórias e recordações do passado e presente, de várias gerações de mulheres, começando por Ana que recorda o dia 25 de Abril de 1974, o dia em que fez 20 anos.
Ao longo dos 5 episódios da minissérie, e tendo sempre como ponto de partida o jantar de Ana, vamos (re)conhecer recordações de várias épocas do século XX, que vão dos anos 20, 30 e 40, passando principalmente pelos anos 70 (antes da Revolução, durante e após) e finalmente o novo milénio.
A minissérie trata fundamentalmente da condição feminina e da evolução de costumes e mentalidades que afetaram a mulher desde as primeiras décadas do século XX até à atualidade.

 

Intérpretes: Ivo Canelas, Carla Maciel, Sara Barros Leitão, Amélia Videira, António Cordeiro, Mariana Monteiro.

Realização: Henrique Oliveira

Produção: HOP!

Ano: 2014

Duração de cada episódio: 60 minutos

No dia 7 de Maio serão exibidos os episódios 2 e 3 e a 14 de Maio serão exibidos os 2 restantes episódios.

Agradecemos à RTP a autorização para a exibição em Timor-Leste.

 

Venha assistir!

 

Sinopses de cada episódio a seguir ao cartaz.

 



Episódio 1 (de 5) - Onde estavas no 25 de abril?

 

Ana faz 60 anos no 25 de Abril de 2014. Decide comemorar a data, convidando para um jantar muito especial as mulheres da sua vida: Luísa, a sua amiga de sempre, Isabel, a sua mãe, Patrícia, a sua filha única, Sofia, a sua neta, Maria, sua sobrinha, e Rosa, antiga criada da casa dos seus pais.
Ao longo do 1º episódio, vamos conhecer um pouco das vidas destas 7 mulheres, cruzando histórias do presente de todas com as memórias do dia 25 de Abril de 1974 de Ana, Luísa, Isabel e Rosa.


Episódio 2 (de 5) - Uma Calma e Lânguida Primavera

Enquanto se dá início ao jantar, a conversa recai sobre as memórias dos anos imediatamente anteriores ao 25 de Abril de 1974.
Ana começa por recordar um dia de Fevereiro de 1969 quando foi acordada pela mãe, Isabel, o dia do terramoto no Porto.
Depois, Isabel e Rosa recordam a noite em toda a família assistiu à alunagem da Apolo XI, também em 1969.
Depois recordam outros factos do dia a dia desses tempos, de 1970 a 1973, e com isso, vamos assistir a uma série de situações típicas, nostálgicas ou divertidas que marcaram os últimos anos do antigo regime.

Episódio 3 (de 5) "Longo e quente verão"

As nossas 7 mulheres continuam o jantar. A conversa incide sobre os anos seguintes à Revolução de 1974.
Começa com a memória do dia 25 de Abril de 1975, a comemoração dos 21 anos de Ana, e com a festa que Ana deu nessa noite. Depois, seguimos o percurso atribulado de Ana até 1977, do seu pai com os seus medos quanto à revolução, e também de toda uma sociedade em mutação muito rápida.

O 25 de abril em Portugal é o mote para a série "Mulheres de Abril", exibida pela RTP no ano de 2014, ano em que se assinalaram os 40 anos da "revolução dos cravos". A série retrata as mulheres de uma família portuguesa e a influência desta data nas suas vidas. A personagem principal, a mãe, a filha, a nora, a neta, a amiga de sempre e a empregada doméstica são as personagens principais desta série dividida em 5 episódios.

 

Episódio 4 (de 5) - Uma família transmontana

Isabel recorda os seus pais, Amélia e Joaquim.
A história começa em 1923, em Carrazeda de Ansiães, uma pequena aldeia transmontana, com o casamento de Amélia e Joaquim, um pobre criador de gado. Nove meses depois nasce Isabel. Amélia convence Joaquim a ir vender gado para os talhos do Porto. Joaquim assim faz. Aos poucos, e com muito trabalho e sacrifício, começa a enriquecer. Começa também a frequentar os bordeis do Porto.
Em 1939, compra casa no Porto e trás a família. Amélia e Isabel ficam deslumbradas com a cidade. Joaquim, é já um outro homem, e começa a causar problemas à família...

 

agendaculturaldili às 07:49 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 08.03.16

Tangram - Jogos Tradicionais Orientais - sábado 12/03 - 15h

Os Jogos Tradicionais Orientais continuam na Fundação Oriente, desta vez teremos uma actividade de Tangram para crianças.

 

Idade mínima aconselhável 6 anos.

 

Vem aprendner a jogar um tradicional jogo chinês que se pratica em todo o mundo e que, segundo algumas informações, ajuda ao raciocino matemático! Mas aqui a única preocupação é brincar e descobrir!

 

Sábado dia 12 de março às 15h.

 

Sugerimos que a criança traga uma água para a criança beber durante a actividade ou poderá adquirir a mesma aqui.

agendaculturaldili às 02:14 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 09.02.16

Concerto música FADISTÂNCIAS sábado 13 de Fevereiro 18h

Concerto música FADISTÂNCIAS

 

O Fado ... estilo de música portuguesa inconfundível, apreciado em todo o mundo, cantado, interpretado e até mesmo dançado.

 

 

A delegação da Fundação Oriente funciona desde 2002 em Timor-Leste, instalada numa casa onde antigamente o fado era a MÚSICA de todos os dias, por isso e não só, a 13 de Fevereiro volta a celebrar-se o Fado.

 

FADISTÂNCIAS é uma proposta de espectáculo de fado ligeiro cantado a duas vozes, Gilda Rocha e João Rocha, e interpretado por João Rocha na guitarra e Etson Caminha no "carrô", onde se celebra o fado e se diminuem as distâncias.

 

É na Fundação Oriente, sábado 13 de Fevereiro às 18h! Não perca. Entrada grátis!


Fado... estilu musika portugeza nebe laiha ida maka hanesan, mundu tomak apresia, hananu, interpreta no mos bele dansa.


Delegasaun Fundação Oriente hahú halao knar tinan 2002 iha Timor-Leste, iha uma ida nebe houri uluk liu fado maka sai nudar muzika loro-loron nian, tamba nee duni, iha loron 13 Fevereiru sei hahu fali selebra Fado.


FADISTANCIAS proposta espetakulu fado lijeiru nebe hananu husi lian rua, Gilda Rocha no João Rocha, interpreta husi João Rocha iha guitarra no Etson iha “carrô”,  iha nebe selebra Fado, hodi hakbesik liu tan.


Iha Fundação Oriente, sabadu, loron 13 Fevereiru, tuku 6 lokraik! Keta lakon. Tama gratis.


agendaculturaldili às 04:59 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 04.02.16

Tangram - Jogos Tradicionais Orientais - sábado 27/02 - 10h

Os Jogos Tradicionais Orientais continuam na Fundação Oriente, desta vez teremos uma actividade de Tangram para crianças maiores de 9 anos.

 

Vem aprendner a jogar um tradicional jogo chinês que se pratica em todo o mundo e que, segundo algumas informações, ajuda ao raciocino matemático! Mas aqui a única preocupação é brincar e descobrir!

 

Sábado dia 27 de fevereiro às 10h.

 

Sugerimos que a criança traga uma água para beber durante a actividade.

agendaculturaldili às 02:50 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 12.01.16

Origami - Jogos Tradicionais Orientais - sábado 23/01 - 10h

 

A Fundação Oriente em Timor-Leste dá início a uma coleção de Jogos Tradicionais Orientais dando a conhecer aos mais novos os jogos e as suas origens, alguns dos quais foram adoptados em todo o mundo.

 

A actividade é composta pela leitura de uma história alusiva ao tema e pela construção de origamis adaptados às idades dos participantes. Será conduzida em língua portuguesa pela animadora Marta Contente.

 

Actividade indicada para crianças maiores de 4 anos. Sugerimos que traga uma água/sumo para a criança!

 

Assista e participe. Até dia 23 de Janeiro às 10h.

 

Introdução ao tema:

Os jogos e brinquedos populares transmitem-se oralmente e pela repetição de gestos de um saber-fazer aprendido da geração que nos precedeu e conseguiram sobreviver ao desenvolvimento urbano e industrial dos últimos cinquenta anos."

 

"A maior parte dos jogos e brinquedos nasceu na Ásia (…) Atribui-se a Gautama Buda (séc. VI ou V a.c.) uma lista de entretenimentos comuns (na Brahmajala Sutta) com os quais ele afirma que nunca se divertiria. Trata-se da mais antiga lista de jogos e brinquedos asiáticos, alguns deles ainda hoje reconhecíveis: nela se referem os jogos praticados em tabuleiros de oito casas de lado (como o nosso xadrez), as ventarolas, os jogos de bola e de dados, a mímica ou aquela paciência que em Portugal conhecemos com o nome de mikado."

 

“Os jogos de tabuleiro e os “quebra-cabeças” envolvem normalmente um pensamento matemático ou estratégico complexo e são sempre invenções individuais feitas por pessoas com uma situação social que lhes permite ter tempo para pensar, sejam elas eruditos, cortesãos ou generais entediados em tempo de paz. Intimamente ligados ao mundo do pensamento abstracto e da escrita, alguns globalizaram-se e tornaram-se tendencialmente universais, como o xadrez, o tangram ou o pião. In: ”Brinquedos e jogos da Ásia”, Fundação Oriente Museu, Lisboa 2011


Bom ano de 2016!

agendaculturaldili às 03:35 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ARQUIVO

A DELEGAÇÃO EM TIMOR-LESTE

A DELEGAÇÃO EM TIMOR-LESTE

FUNDAÇÃO ORIENTE

FUNDAÇÃO ORIENTE

MUSEU DO ORIENTE

MUSEU DO ORIENTE

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

BOLSAS DE ESTUDO

BOLSAS DE ESTUDO