Os Timorenses 1973 – 1980 - Joana Ruas



Os Timorenses 1973 – 1980

É um romance sobre um processo histórico único no mundo e uma das mais solitárias guerras de libertação nacional.

Neste período, a FRETILIN travou contra o invasor indonésio uma guerra de independência e uma guerra social numa metade de uma ilha isolada do resto do mundo pelo invasor e sem qualquer espécie de retaguarda para se refugiar ou para se abastecer. Na sua terra invadida, a pátria estava na presença social, física e sentimental dos seus guerrilheiros liderados por Nicolau Lobato. Os homens e mulheres das FALINTIL deixaram de existir no presente para se continuar no futuro. Eram homens e mulheres de coração poderoso cujos olhos pareciam olhar para o fundo do futuro, homens e mulheres que permaneciam livres mesmo na prisão e que mesmo nus morriam de pé.

O testemunho dos sobreviventes desta etapa que vai de 1973 a 1980, repõe a memória concreta dos episódios então vividos pela nação timorense mas nada nos é revelado da vida dos seus heróis e heroínas. Até à restauração da independência a 20 de Maio de 2002, a morte é a paisagem que absorve os elementos humanos e a vida material dos seus guerrilheiros e de toda a nação. O que impressionou vivamente a escritora Joana Ruas foi essa experiência ao mesmo tempo religiosa e laica que através do cimento do seu sonho de liberdade colectiva, da sua fé e da força da linguagem venceu a angústia da morte e a certeza da destruição.

 

Joana Ruas

A autora nasceu na Quinta do Pinheiro em Freches, no distrito da Guarda. Trabalhou como jornalista cultural e tradutora na Radiodifusão Portuguesa e no jornal Nô Pintcha da República da Guiné-Bissau.

Participou na causa da Libertação do Povo de Timor-Leste, tendo feito várias conferências sobre a Língua Portuguesa em Timor-Leste, sua história e cultura. Entre poesia dispersa e ensaios é autora dos romances, Corpo colonial, O claro vento do mar e A pele dos séculos. Participou na IV Feira do Livro de Díli onde apresentou o romance A batalha das lágrimas e o livro de contos Crónicas timorenses respectivamente o 1º e o 2º volume da tetralogia A pedra e a folha sobre cem anos de Resistência Timorense.

 

A Plural editores e a Fundação Oriente organizam o lançamento do livro no dia 22 de setembro às 17h na Delegação da Fundação Oriente em Díli. Seguido de um aperitivo.

 

Apoios

Fundação Oriente

Páteo

agendaculturaldili às 08:33 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos