Quinta-feira, 30.06.16

Agenda da Feira do Livro - 7 a 9 de Julho

Nos dias 7, 8 e 9 de Julho das 10h às 18h. | Iha loron 7, 8 no 9 jullu husi tuku 10 to'o tuku 18.

Todas as manhã há actividades para crianças e todas as tardes há conversas sobre livros com autores. | Dadeer hotu iha aktividade ba labarik no lokraik hotu iha ko'alia kona ba livru sira ho autor sira.

 

agendaculturaldili às 07:18 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 29.06.16

Feira do Livro Mais Português - 7 a 9 de Julho

 

Veja a Agenda da Feira AQUI.

Harée Ajenda feira nian iha née.

agendaculturaldili às 09:47 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 14.06.16

Filme Xingu - dia 25 de junho 15h

 

Direção: Cao Hamburger
Elenco: Caio Blat, Maria Flor, João Miguel, Felipe Camargo, entre outros
Gêneros: Drama, Aventura, Biografia
Nacionalidade: Brasil

Duração: 1h40m

Ano: 2012

 

Sinopse: Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade pela aventura de viver na floresta. Para isso, resolvem inscrever-se no Programa de Expansão do Governo brasileiro, na região do Brasil central. Com enorme poder de persuação e afinidade com os habitantes da floresta, os três tornam-se uma referência nas relações com os povos indígenas, vivendo incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu.

 

Trailer: http://www.adorocinema.com/filmes/filme-201699/trailer-19320329/

 

O filme foi anunciado no aniversário dos 50 anos do Parque Nacional do Xingu.

 

 

 

agendaculturaldili às 07:38 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Filme "KRIADU" dia 18 de junho 15h

Título - Kriadu: A história da Batalha de Timor durante a 2ª Guerra Mundial

 

Título original - Kriadu: the story of the Battle of Timor during WW2

Timor-Leste, 37 minutos, 2012, Curta metragem, Falado em inglês


Uma produção Fair Trade Films para o Memorial Dare Museum and Café


Autores
: Kirsty Sword Gusmão; Xanana Gusmão; Dare Memorial Museum and Café; Fair Trade Films.
Editora: [Dili, Timor-Leste]: FairTrade Films, [2012]

Versão em Inglês narrada por Kirsty Sword Gusmão e Versão em Tétum narrada por Xanana Gusmão

 

Sinopse: Os soldados Australianos que serviram em Timor durante a 2ª Guerra Mundial devem o sucesso da sua missão para defender a Austrália contra a invasão Japonesa e, na verdade, a sua própria sobrevivência, aos seus leais ajudantes timorenses ou 'kriadu'.
Cerca de 40.000 timorenses perderam a vida como consequência direta da presença militar da Austrália em Timor. Esta é a história da notável amizade entre os 'kriadu' e os australianos que lutaram no 2/2° 2/4º Comandos, do Memorial criado para homenagear as contribuições e sacrifício timorense, e a gênese do Museu Memorial de Dare.

 

(Versão em inglês: The Australian soldiers serving in Timor during the 2nd World War owed the success of their campaign to defend Australia against a Japanese invasion and indeed their very survival to their loyal East Timorese helpers or "kriadu" [criado].

Some 40,000 East Timorese lost their lives as a direct consequence of Australia's military presence in Timor. This is the story of the remarkable friendship between the “kriadu” and the Australian men who fought with the 2/2nd and 2/4th Commando Associations, of the memorial created to honor the East Timorese contributions and sacrifice, and the genesis of the Dare Memorial Museum.)

agendaculturaldili às 07:16 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Documentário - "Há 70 anos o tarrafal" - dia 18 de junho

Documentário “Há Setenta Anos no Tarrafal - Os Últimos Sobreviventes

 

 

 

Sinopse:
A 29 de Outubro de 1936 fundeava na baía do Tarrafal o navio a vapor Loanda. A bordo, os primeiros 152 presos políticos que Salazar condenava para a nova colónia penal do Tarrafal, na ilha de Santiago, em Cabo Verde. Em 19 Levas sucessivas para ali foram deportados mais de 300 portugueses cujo único crime era lutarem pela liberdade – de expressão e de associação – e por uma sociedade mais justa.


Este documentário regista o testemunho de cada um dos últimos cinco sobreviventes do Tarrafal (em 2006) que, surpreendentemente, pertencem à primeira leva; e permite-nos compreender cinco percursos paradigmáticos, caracterizados pelo mesmo idealismo e coragem, que conduziu estes jovens, nascidos entre 1914 e 1918, a cruzar os seus destinos no campo de concentração do Tarrafal, onde desperdiçaram o melhor da sua juventude.


Três marinheiros, presos na sequência da Revolta dos Marinheiros de 8 de Setembro de 1936, condenados a 16 e 17 anos de prisão: Josué Romão, 18 anos, condenado a 16 anos que cumpriu integralmente, sendo libertado em 1952, com 34 anos; José Barata, 20 anos, que esteve 11 anos no Tarrafal, foi transferido por doença, em 1947, para a Penitenciária de Lisboa, sendo libertado em 1951, aos 35 anos; e Joaquim Teixeira, 20 anos, que cumpriu 8 anos no Tarrafal, foi transferido por doença para o Hospital de S. José, em Lisboa, de onde conseguiu evadir-se três anos mais tarde. Tinha 32 anos e manteve-se sob uma falsa identidade durante 20 anos, até à prescrição da pena.


Dois jovens quadros das Juventudes Comunistas, que se encontravam presos ilegalmente, à luz da própria lei fascista: Sérgio Vilarigues, 22 anos, preso desde 1934 e condenado a cerca de dois anos de "prisão correccional a cumprir no continente" que, depois de passar pelas cadeias do Aljube e Peniche, acabou por ser transferido para Angra do Heroísmo e daí para o Tarrafal, com a pena já expiada... Foi libertado ao fim de quatro anos, em 1940. Entrou na clandestinidade e foi o único dirigente do PCP que não voltou a ser preso até 1974; e Edmundo Pedro, 17 anos, preso no início de 1936 e enviado para o Tarrafal, sem julgamento. Esteve 9 anos no Tarrafal e regressou a Lisboa em 1945, onde foi finalmente julgado e solto (depois de ter excedido em 8 anos a pena aplicada).


Sérgio Vilarigues, Edmundo Pedro, Josué Romão, José Barata e Joaquim Teixeira partilham a história da sua vida e, simultaneamente, as suas memórias, vividas, da História de Portugal no século XX: das suas famílias desvalidas ou em crise; da sua entrada no mercado de trabalho pela porta mais estreita; do Portugal em transição entre a República, o golpe de 1926, que instaura a Ditadura, e a evolução e consolidação do Estado Novo; e, finalmente, da chegada ao Tarrafal nos porões do Loanda e do período inicial e mais crítico do campo de concentração do Tarrafal, que os prisioneiros logo apelidaram de «Campo da Morte Lenta».


O documentário HÁ 70 ANOS, O TARRAFAL: OS ÚLTIMOS SOBREVIVENTES é uma coprodução TAKE 2000/RTP2, exibido subsequentemente na RTP MEMÓRIA e na RTP INTERNACIONAL e ainda em diversas escolas e em instituições como a FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES, o MUSEU DO NEO-REALISMO e o MUSEU DO ALJUBE, em datas ou por ocasião de eventos relacionados com o tema.

 

A realizadora:
Fernanda Paraíso é licenciada em Arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, mestre em Planeamento Urbano pela Columbia University de Nova Iorque e frequentou o curso de cinema da School of Continuing and Professional Studies da New York University. Trabalhou como arquitecta em vários ateliers em Nova Iorque e em Portugal e actualmente exerce a profissão em regime livre.


Foi Art Director e Cenógrafa em vários filmes portugueses e estrangeiros e, de 1998 a 2000, Assistente da cadeira de Projecto do 4º ano do curso de Arquitectura da Universidade Moderna, em Lisboa.


Recentemente dedicou-se à escrita de argumentos cinematográficos e foi durante a pesquisa para o argumento de um filme sobre o campo de concentração do Tarrafal que conheceu os cinco sobreviventes e lhes dedicou o documentário Há 70 anos, o Tarrafal: os últimos sobreviventes, estreado na RTP2, a 29 de Outubro de 2007. A pesquisa documental que realizou e usará como fonte para as suas contribuições neste blog, incidiu particularmente sobre o período decorrido entre o 28 de Maio de 1926 e a primeira leva de presos políticos, em 1936.

 

FICHA TÉCNICA:
Duração: 55 minutos
Formato: PAL 16:9
Produção: José Mazeda/TAKE 2000
Argumento e Realização: Fernanda Paraíso
Imagem e Som: Gonçalo Soromenho
Montagem: Gonçalo Soromenho e Fernanda Paraíso
Sonoplastia: Emídio Buchinho
Locução: Judite Lima
Música: J.S. Bach, Variações Goldberg, Pedro Burmester (EMI CLASSICS 1996)
Ano: 2007

 

TARRAFALISTAS:
Sérgio de Matos Vilarigues, n. 23-12-1914
José Barata, n. 16-08-1916
Joaquim de Sousa Teixeira, n. 02-01-1916
Josué Martins Romão, n. 13-04-1918
Edmundo Pedro, n. 08-11-1918

 

APOIOS:
Instituto dos Arquivos Nacionais Torre do Tombo
Arquivo Central de Marinha
Partido Comunista Português | Gabinete de estudos Sociais
Direcção Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais

agendaculturaldili às 07:08 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 10.06.16

Ciclo de Cinema "Resistência" - parte 2

A segunda parte do Ciclo de Cinema sobre Resistência será apresentado nos dias 18 e 25 de Junho.

(vai haver uma terceira parte!)

 

 


Dia 18 de Junho, sábado às 15h

Título - Kriadu: A história da Batalha de Timor durante a 2ª Guerra Mundial

 

Timor-Leste, 37 minutos, 2012, Curta metragem, Falado em inglês (infelizmente ainda não foi traduzido para português)

 

Sinopse: Os soldados Australianos que serviram em Timor durante a 2ª Guerra Mundial devem o sucesso da sua missão para defender a Austrália contra a invasão Japonesa e, na verdade, a sua própria sobrevivência, aos seus leais ajudantes timorenses ou 'kriadu'. Cerca de 40.000 timorenses perderam a vida como consequência direta da presença militar da Austrália em Timor. Mais informação em http://agendaculturaldili.blogs.sapo.tl/26016.html

 

Dia 18 de Junho às 15h45

Título: Há 70 anos o Tarrafal - Os últimos sobreviventes

 

Portugal, 55 minutos, 2007, Longa metragem, Falado em português


Sinopse: Este documentário regista o testemunho de cada um dos últimos cinco sobreviventes do Tarrafal (em 2006) que, surpreendentemente, pertencem à primeira leva; e permite-nos compreender cinco percursos paradigmáticos, caracterizados pelo mesmo idealismo e coragem, que conduziu estes jovens, nascidos entre 1914 e 1918, a cruzar os seus destinos no campo de concentração do Tarrafal, onde desperdiçaram o melhor da sua juventude. Mais informações em http://agendaculturaldili.blogs.sapo.tl/25670.html

 

Dia 25 de Junho, sábado, às 15h

Título: Xingu

 

Brasil, 100 minutos, 2012, Longa metragem, Falado em português

 

Sinopse: Os irmãos Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo Villas Bôas (Caio Blat) resolvem trocar o conforto da vida na cidade pela aventura de viver na floresta. Os três tornam-se uma referência nas relações com os povos indígenas, vivendo incríveis experiências, entre elas a eterna conquista do Parque Nacional do Xingu. Mais informações em http://agendaculturaldili.blogs.sapo.tl/26269.html

 

agendaculturaldili às 04:25 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 08.06.16

Filme de animação para crianças Papel de Natal

A média metragem de animação portuguesa "Papel de natal", de José Miguel Ribeiro, protagonizada por Dodu, um rapaz de cartão com uma missão ecológica, estreia na Fundação Oriente em Timor-Leste com o apoio do Camões IP e da Embaixada de Portugal em Timor-Leste.


Com realização de José Miguel Ribeiro e argumento de Virgílio Almeida, "Papel de natal" combina imagens reais com cinema de animação, em volume, e tem como pano de fundo a devastação de uma floresta de papel, no mundo da fantasia, à medida que os humanos se desleixam na reciclagem, no mundo real.


Com uma mensagem ecológica implícita – sobre a sustentabilidade do planeta -, o filme é protagonizdo por Dodu, um rapaz de cartão que foi construído, a partir de desperdícios de papel, por Camila, uma menina que anda à procura do pai. A missão de Dodu é encontrá-lo e resgatá-lo do Monstro Desperdício.

 

Esta foi a primeira experiência de José Miguel Ribeiro na combinação de cinema real e animação, num projeto que se prolongou desde 2011. A rodagem com os atores demorou duas semanas e a parte de animação um ano e meio.

 

O elenco de atores integra Mariana Achega (Camila), Ivo Canelas (o pai natal Sana), Vitor d' Andrade (Filipe, pai da Camila) e Crista Alfaiate (Júlia, mãe da Camila).

 

José Miguel Ribeiro, 48 anos, é autor do filme "A suspeita" (2000), da série "As coisas lá de casa", das produções "O banquete da rainha", "O passeio de domingo" e "Viagem a Cabo Verde".

 

Foi um dos fundadores da produtora Sardinha em Lata, da qual se desvinculou para fundar, em 2012, uma nova produtora de cinema, a Praça Filmes, em Montemor-o-Novo.

 

Dodu, o protagonista de "Papel de natal" surgiu pela primeira vez no livro para a infância "O rapaz que aprendeu a voar", de Alexandre Honrado, ilustrado por José Miguel Ribeiro, editado em 2007


Veja o trailer oficial em: https://www.youtube.com/watch?v=hE0CU1Da_CI

 

Imagem do filme

 

Outras imagens:

O Realizador, José Miguel Ribeiro.

 

Cenário

 

A capa do filme,

 

agendaculturaldili às 13:53 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

ARQUIVO

A DELEGAÇÃO EM TIMOR-LESTE

A DELEGAÇÃO EM TIMOR-LESTE

FUNDAÇÃO ORIENTE

FUNDAÇÃO ORIENTE

MUSEU DO ORIENTE

MUSEU DO ORIENTE

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO

BOLSAS DE ESTUDO

BOLSAS DE ESTUDO