Contos de encantar a noite 23 de maio 17h, sábado

O grupo Haktuir Aiknanoik apresentou um espectáculo de histórias de encantar no dia 23 de Maio, sábado, pelas 17h na Fundação Oriente em Díli, Timor-Leste, a que chamou "Contos de encantar a noite".


O grupo preparou um espectáculo bilingue, português e tetum, para todas as idades.


O grupo, composto por alunas do Departamento de Língua Portuguesa da Faculdade de Educação da UNTL com apoio do Cooperação Brasileira e da Fundação Oriente, tem realizado com sucesso várias sessões de "Contar histórias" tanto para crianças como adultos em diversas ocasiões e locais da cidade.


23 de maio.jpg


Grupo Haktuir Aiknanoik - Releasing 28/Maio/2015


No último sábado, 23 de maio, o Grupo Haktuir Aiknanoik se apresentou na Fundação Oriente. Pertencente ao Departamento de Língua Portuguesa da UNTL, o grupo é formado por doze jovens mulheres que têm pesquisado as tradições orais timorenses. O grupo também conta histórias, tanto em português como em tétum, resgatando uma tradição ancestral, ao mesmo tempo que a recria no tempo presente.


No dia 23, o espetáculo Ai-Knanoik Furak Kalan Nian/Contos de Encantar a Noite contou com histórias das tradições orais timorense e brasileira, entremeadas de canções e brincadeiras. Houve a presença de timorenses e membros da comunidade internacional, criando-se um momento de trocas e alegria.


 O grupo nasceu de oficinas de contação de histórias realizadas pela professora brasileira Márcia Cavalcante, em meados de 2014, no Museu da Resistência. A partir do entusiasmo das alunas, contando ainda com o apoio das professoras Fernanda Sarmento e Keu Apoema, criou-se o grupo que começou a se reunir no mês de julho de 2014. Nos primeiros encontros, realizados inicialmente a cada quinze dias, o grupo decidiu o nome, os seus objetivos, como seriam os encontros.


 Como objetivo principal, o grupo apontou como desejo promover a arte de contar e ouvir histórias, dando ênfase nas narrativas da tradição oral timorense. Para isso, tem trabalhado com as seguintes ações: o estudo de autores que falam sobre o tema, timorenses e internacionais, e a prática de contar histórias, tanto em exercícios de corpo, voz e memória, como efetivamente circulando por diferentes espaços.


 Apenas no primeiro semestre de 2015, foram cinco apresentações: uma na recepção dos novos alunos do Departamento de Língua Portuguesa, outra na Escola Farol e uma terceira na Escola Arca Infantil, em Hera; duas outras apresentações foram realizadas na Fundação Oriente, abertas ao público. A última aconteceu no dia 23 de maio, no final de tarde, e se chamou Contos de Encantar a Noite ou Ai-knanoik Furak Kalan Nian, com narrativas contadas em português e em tétum, entremeadas de canções,


Sempre que se diz “iha tempu uluk liu ba” ou “em tempos que já lá vão”, percebe-se que contadoras de histórias e ouvintes – sejam eles crianças ou adultos – transportam-se para um mundo de partilhas através da palavra pronunciada e da imaginação. Mesmo o mundo moderno e todas as suas tecnologias, todos os seus livros e volume de informações, precisa da poesia e maravilhamento que as histórias permitem: o olho brilhando, o riso no final da história, a possibilidade que uma pessoa tem de enxergar a si mesmo como herói ou heroína.


 No momento, o grupo conta com doze jovens, são elas: Aquilina, Natalícia, Olga, Natércia, Maria Juliana, Novinda, Gertrudes, Mónica, Sandrina, Leocádia e Natália. Todas alunas do departamento de Língua Portuguesa, que entre aulas e estágios, têm construído o grupo Haktuir Aiknanoik, trabalhando para contar histórias em português e em tétum, conectando não apenas o passado e o presente através das narrativas, mas também a relação entre as duas línguas oficiais de Timor-Leste.


 Para saber mais sobre o grupo, acesse a página do grupo no facebook: https://www.facebook.com/haktuir.


 

ideiasnegocio às 03:33 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos